quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

A veia do lado esquerdo da testa

Passei a noite aqui pensando que queria postar um texto enorme no blog. Pra quê? Eu não sei, é apenas uma vontade de escrever sem parar, mesmo que o que eu esteja escrevendo não faça sentido.

Eu então tento me concentrar, mesmo com a música que toca aqui e que vez ou outra me atrapalha o pensamento. Peço que me esperem um pouco no msn, porque agora preciso escrever.

De tempos em tempos tenho essa vontade estranha de escrever até que o número de caracteres se esgote. Aqui não existe isso, né? Ok, não ligo, vou até onde minha cabeça me deixa, mesmo agora não tendo o que dizer. Nada de muito interessante aconteceu. Um trabalho que talvez aconteça? Bom, isso é importante, mas como nada é certo, não é bom ficar falando. Não queria apagar nada do que eu escrevesse, nada que saísse errado, mas eu não consigo e até agora já apertei o botão de apagar umas 4 vezes.

Ok, chegando aqui parei e pensei o que poderia ser o meu próximo assunto. O frio em tempo de calor? Tempo é sempre um assunto, não é bom, mas é um assunto, só que também já não faz mais sentido, porque começa a esquentar. Aliás, quente no momento está minha perna, já que este computador esquenta horrores e está no meu colo. Daqui a pouco eu não o aguento mais e volto pra mesa. Que rotina mais desinteressante, não? O despertador toca todos os dias e eu todos os dias desligo ele e finjo que nada aconteceu. Durmo por mais umas duas horas, sonho com mil coisas e finalmente acordo. Toda vez penso a mesma coisa: "mas que droga, eu dormi demais de novo e já preciso almoçar". Depois do almoço eu geralmente nada tenho a fazer. Então eu permaneço nesse computador esperando alguém vir falar comigo, mesmo que não tenha nada de interessante pra dizer. Apesar disso, tenho me sentido feliz nesses últimos dias. São os ares de janeiro, com certeza. Além dos planejamentos pro mês! Muitas coisas a fazer... Rir faz bem!

Hoje meu pai me perguntou: "Até quando você vai colocar essa perna em cima de mim e esperar que eu fique passando a mão no seu pé?". Pergunta interessante a do meu pai. As pessoas não devem saber que desde muito tempo eu tenho essa mania. Amo que passem as mãos nos meus pés. É ótimo e relaxa... Então eu respondi que até quando eu quiser. Ou até que outra pessoa faça isso. Enfim...

Começou a tocar agora The Last Shadow Puppets. Já ouviram? É o Alex Turner, do Arctic Monkeys com um outro cara ai. As músicas são muito legais e algumas parecem trilha de filme. "In The Heat Of The Morning"... Quanto tempo faz que não vejo uma manhã? Desde que as aulas terminaram, talvez. Mas logo elas voltam e aí eu vou poder ver o dia amanhecendo do ônibus de todos os dias. Sempre as mesmas pessoas, o mesmo motorista, o medo nas curvas próximas ao zoológico.

Acho que me cansei de escrever agora e tenho medo que em dois segundos todas as letras do meu notebook se apaguem!

Agora que acabou, percebo que nem escrevi tanto. E que de alguma forma as coisas fazem sentido. É desse jeito que eu penso, uma coisa imendada na outra enquanto a veia do lado esquerdo da testa não se cansa de pular.

5 comentários:

Vinícius de Almeida Paleari disse...

Amiga, adorei o seu blog. Muito interessante a reflexão do último texto.

Parabéns.

E eu não sabia que você gostava que fizessem massagem nos seus pés hahaha!

Beijos

Marta Pinheiro disse...

"Então eu respondi que até quando eu quiser."
Nossa hein! hahahaha... essa foi foda!
E eu lendo sobre o ônibus da faculdade quase chorei de alegria, porque voltarei a ver aquele pôr do sol, de dentro daquele ônibus... porque do Ipiranga ele não é assim tão lindo!

Marô disse...

"Amo que passem as mãos nos meus pés. É ótimo e relaxa..."


achei um tanto erótico!
eu amo que passem a mão, nas minhas orelhas! chego até a miar!

ahh o onibus!!! o bom é que eu vou ver o dia anoitecendo! e vc amanhecendo.. olha. chega a ser romantico.. [ não]

beijo karla!!!

bom emprego!

Vinícius de Almeida Paleari disse...

Hey ... onde estão as postagens ? Entrei hoje aqui para ler uma atualizada e nada..... hahaha

Um beijo, Kah!

Anônimo disse...

Oi, gostei do post, blog é bom que temos a liberdade de escrever oque quisermos e lê quem quer. Me identifiquei com o texto, você escreve bem. Continue assim!
até mais