sexta-feira, 20 de abril de 2012

Sozinha

De tempos em tempos passo por aqui e leio todas as coisas antigas. Não sei o porquê, mas sempre faço questão de deixar claro que passei e que li tudo de novo.

Em alguns textos estranho palavras que usei, ao mesmo tempo em que admiro o modo como escrevi. Tento lembrar do que pensei na hora, mas, na maioria das vezes, é como se estivesse processando algo novo, escrito por outra pessoa. Muitas vezes nem mesmo me identifico com as situações.

Bom sinal: de tempos em tempos me pego diferente, sem me achar ridícula, mas crescida e feliz. Feliz! Aliás, quase não me lembro da última vez que fiquei triste. (No aniversário do pai, semana passada, talvez. Foi rápido, questão de minutos). E o melhor é perceber que a felicidade de fato não depende de mais ninguém. Só de mim.

Tinha me esquecido como era bom ser sozinha. Eu, de fato, gosto e precisava disso.

Um comentário:

Charles disse...

O tempo passa rápido né? rs